domingo, dezembro 17, 2006

Rita, minha irmã Rita

Quando acordámos, de uma noite bem agitada (pela expectativa e porque nunca dormíamos juntas), eu a Tina recebemos a notícia que tinha nascido uma menina.

A alegria foi tanta que assim que cheguei à escola contei logo que já tinha uma irmã.

Claro que eu queria um rapaz e ainda sugeri à família do lado trocarmos os bebés, visto que assim repetíamos os sexos, mas a proposta não foi aceite e contentei-me com o que me tinha calhado em sorte.

Numa infância feliz recordo momentos, lugares, bonecos, professores e situações que podem nem ter sido especiais, mas o nascimento da minha irmã foi dos momentos que mais me marcou. O marco que dividiu o “Antes de Rita” do “Depois de Rita” trouxe-me a sensação de “não mais sozinha”. Passei a contar com aquela mãozinha que apertava quando algum pesadelo não me deixava dormir, com o tempo que dedicava a brincar com a miúda vários anos mais nova, com o apêndice que me seguia pra todo o lado, com a idolatração (e que sempre me fez muito bem ao ego).

Hoje, sem grande inspiração para escrever umas palavras bonitas, dou parabéns à Rita, minha irmã, minha melhor amiga, uma mulher muito especial.
Ana Cristina

4 comentários:

Anónimo disse...

Olá!
E parabéééééééééééns! Muitas felicidades e tudo de muuuuuuito bom!
bjnh, manela

rutinha disse...

Para quem diz não ter inspiração para escrever palavras bonitas...pois adorei ler estas tuas palavras, que grande amor e carinho de irmã e de amiga...ai o que eu não gostava de ter uma irmã tb. mas saiu-me um puto reguila que ainda está na "fase do armário dos 13" e de quem eu gosto mto.
Parabéns à Rita!

amigona disse...

Pois deixo também os meus parabéns e um beijo de saudades...

Tina disse...

Sim é verdade, ainda me lembro desse dia..... Parabéns LINDONA... e parabéns à irmã maravilhosa que tens e que te deixa palavras tão bonitas.
Um beijinho grande
Tina